Mattaraia Engenharia Indústria e Comércio Ltda
Rodovia Anhanguera - Km, 305
Ribeirão Preto - S.P. | Cep: 14097-140
Fone / Fax: 16 - 3629.2929
Untitled Document
 
menu.jpg
Untitled Document
Untitled Document Untitled Document
Untitled Document
Construção civil deve crescer 6,1% em 2011, prevê Sinduscon-SP

SÃO PAULO - O Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil deve crescer menos no ano que vem, segundo projeção do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP). A entidade estima uma expansão de 6,1% para o setor em 2011, inferior ao forte avanço de 11% de 2010.

"Manter uma taxa de dois dígitos requer um esforço consideravelmente maior, tendo em vista a elevada base de comparação que foi 2010", considera a consultora da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Ana Maria Castelo.

O crescimento de 2010 foi o fim de um ciclo extraordinário de investimentos, analisa o diretor de economia do SindusCon-SP, Eduardo Zaidan. Ele pondera, no entanto, que daqui para frente a economia brasileira não suporta mais esse ritmo de expansão.

Essa tendência de desaceleração já se traduz nas expectativas dos empresários da construção. "Elas continuam favoráveis, mas já começaram a refletir algumas incertezas", observa Ana. Houve queda no indicador que mensura o otimismo para o desempenho das companhias do setor, mostrou a 45ª Sondagem Nacional da Construção, realizada em novembro pela FGV.

Apesar disso, os empresários acreditam que o crédito imobiliário continuará puxando o crescimento, com destaque para lançamentos voltados para famílias de baixa e média renda.

O estudo também constatou um sentimento geral de que a mão de obra será um dos grandes problemas de 2011, mostrando que os empresários estão pessimistas com a evolução dos custos setoriais.

Para presidente do SindusCon-SP, Sérgio Watanabe, tendo em vista a tendência de desaceleração dos investimentos para o próximo ano, o grande desafio das empresas será elevar a produtividade, com investimentos em novas tecnologias, máquinas e equipamentos.

Outro ponto destacado por ele é a escassez de terrenos, principalmente para a construção de interesse social nas regiões metropolitanas. Para se ter uma ideia, apesar do bom desempenho do setor em 2010, no caso da região metropolitana de São Paulo, o número de lançamentos - 48 mil até outubro - não superou os 51 mil de 2009.

 

Fonte: O Globo.

 
     
Untitled Document
Dúvidas, Sugestões e Comentários sobre o assunto acima
 
Envie-nos  
Nome:
E-mail:
Telefone:
-
Cidade:
Texto:
Verificação de Imagem
Por favor digite as quatro letras ou dígitos que aparecem na imagem.
 
Não há comentários.

 
 
Sebrae qualifica cadeia produtiva da Construção Civil
 
Projeto prevê diagnóstico organizacional, capacitação gerencial e consultorias tecnológicas 
Norma sobre carrinho de mão na construção civil é publicada
 
A nova norma NBR 16.269:2014 - Ferramentas manuais - Carrinho de mão na construção civil entrará em vigor mês que vem, a 
Emprego na construção brasileira cresce 1,19% em janeiro
 
O número de trabalhadores com carteira assinada na construção civil brasileira registrou alta de 1,19% em janeiro de 201 
Inovação é fundamental para crescer
 
Indústria da construção civil tem no Eninc, encontro nacional do setor, oportunidade para debater novas técnicas e suste 
 
Untitled Document
Sebrae qualifica cadeia produtiva da Construção Civil 
Projeto prevê diagnóstico organizacional, capacitação gerencial e consultorias tecnológicas