O Brasil soma apenas 212 mil quilômetros de estradas pavimentadas, segundo dados da consultoria Ilos, divulgados no final do mês de março deste ano. Deste montante, 95% utiliza material asfáltico. Somente 2%, conforme dados da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) usa o concreto Portland.

No entanto, o plano da ABCP é que para os próximos dez anos, ao menos 20% das rodovias nacionais sejam construídas em concreto. Mas afinal, qual o melhor tipo de pavimentação? Especialistas em construção afirmam que o concreto, apesar de ter um investimento inicial maior do que o asfalto, supera, em alguns casos, a qualidade dos pavimentos.

Classificados como rígidos (concreto) e flexíveis (asfáltico), ambos os modelos de pavimentação exigem alto custo, de qualquer forma. O molde asfáltico custa em média R$ 1 milhão por quilômetro, enquanto que o de concreto fica em torno de R$ 1,3 milhão pelo mesmo trajeto.

Entretanto, a vida útil do concreto é de, no mínimo, 20 anos e o asfalto – sem intervenções necessárias, no máximo dez anos de duração. O chão em concreto, além disso, dá mais estabilidade aos pneus, garantindo, inclusive, que estes durem mais e até mesmo menos risco de aquaplanagem.

Usar muito para compensar

Um ponto negativo ao uso do concreto Portland, segundo os especialistas, é o pouco uso da rodovia. Tudo porque o concreto, por resistir mais às ações do tempo, fica “desperdiçado” se ficar parado, demorando muito para dar o retorno ao investimento realizado.

Porém, em uma projeção rápida feita pela Associação Brasileira de Pavimentação (ABPV), como os gastos manutenção do concreto são baixos, dentro de 20 anos o custo com o tipo de pavimentação pode ficar um valor 60% abaixo ao gasto com a implantação do asfalto.

Outra qualidade observada pelas associações é o fato do concreto esquentar menos, o que no Brasil, por ser um país de clima tropical, é muito vantajoso. Além disso, por ser mais claro, o concreto reflete melhor a luz – o que gera economia com energia elétrica.

O asfalto é mais usado, entretanto, por permitir mais união dos materiais agregados, como as combinações do asfalto com a borracha de pneus moídos, além de permitir a reutilização de diversos materiais por meio da reciclagem.


Fonte: http://carrohoje.com/2014/04/16/concreto-x-asfalto-o-que-e-melhor/

Participe, deixe seu comentário

C5V8